Os birmaneses afetados pelo ciclone Nargis "irão comer rãs" antes de aceitar a ajuda da comunidade internacional, que teria se mostrado "mesquinha" no auxílio financeiro ao país, disse nesta sexta-feira a Junta Militar que governa Mianmar.

Em uma mensagem divulgada pelo jornal oficial New Light of Myanmar, a Junta Militar criticou a promessa de envio de US$150 milhões, surgida na reunião de países doadores no fim de semana, enquanto o governo havia pedido cerca de US$11 bilhões para as tarefas de reconstrução.

A junta também criticou os países ocidentais por imporem como condição para o auxílio financeiro o acesso de ONGs e funcionários humanitários à região mais atingida pelo ciclone, no delta do Irrawaddy.

Delegados internacionais realizaram no fim de semana em Yangun, com a presença do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, uma conferência de doadores visando aumentar os recursos destinados às vítimas do ciclone Nargis, que deixou cerca 133 mil mortos e desaparecidos.