O governo do Iêmen que estava exilado na Arábia Saudita desde março voltou nesta quarta-feira para Áden, declarada capital provisória do Iêmen, de onde administrará as províncias do sul reconquistadas nas últimas semanas, disse o porta-voz do governo, Rageh Badie.

Os ministros e o presidente, Abed Rabbo Mansour Hadi, fugiram de Yemeny no início deste ano em meio a um avanço dos rebeldes xiitas, que capturaram a capital, Sanaa, em setembro do ano passado.

O conflito do Iêmen coloca os rebeldes, conhecidos como houthis e apoiados pelo Irã e as tropas leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh, contra um conjunto de forças, incluindo as do presidente Hadi, os separatistas do sul, as milícias locais e tribais, e também militantes sunitas islâmicos.

As forças pró-governo recentemente retiraram os houthis de várias áreas importantes no sul, incluindo Áden. Fonte: Associated Press.