O ministro da Justiça da Escócia, Kenny MacAskill, defendeu hoje sua decisão de soltar Abdel Baset al-Megrahi, condenado por planejar o atentado terrorista de Lockerbie. Porém, MacAskill disse que a Líbia havia prometido uma recepção discreta a al-Megrahi, e não a acolhida digna de um herói, como aconteceu. O Parlamento escocês foi convocado hoje para uma reunião de emergência sobre a libertação de al-Megrahi, que provocou críticas dos Estados Unidos e também internas, no governo nacionalista escocês.

O atentado pelo qual al-Megrahi foi condenado ocorreu em 1988 e deixou 270 mortos, a maioria norte-americanos. Al-Megrahi foi condenado em 2001 por envolvimento na explosão de uma bomba no avião da Pan Am, sobre a cidade escocesa de Lockerbie. Na semana passada, o terrorista foi libertado pois está com câncer de próstata em estágio terminal.

A Grã-Bretanha cancelou a visita do príncipe Andrew à Líbia, em meio à controvérsia pela libertação do terrorista. Andrew já visitou o país várias vezes e iria novamente no próximo mês, na função de embaixador do comércio britânico. Hoje, no entanto, o Palácio de Buckingham apenas informou sobre o cancelamento, sem dar mais detalhes.