O governo interino de Honduras anunciou no domingo que ainda está analisando se receberá nesta segunda-feira uma delegação da Organização dos Estados Americanos (OEA) que tem por missão discutir o retorno do Presidente deposto, Manuel Zelaya, ao poder. “Estamos avaliando, mas ainda não temos nada resolvido”, afirmou René Zepeda, ministro da Informação. “Mesmo porque até agora não nos pediram uma reunião.”

Nesta segunda, está prevista a chegada em Honduras de uma delegação de sete conselheiros e o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, para pedir ao Presidente interino, Roberto Micheletti, que assine o Acordo de San Juan, cujo objetivo é solucionar a crise provocada no país pelo golpe de Estado no dia 28 de junho, quando Zelaya foi deposto.

O Acordo de San Juan, proposto pelo Presidente da Costa Rica, Oscar Arias, estabelece a volta de Zelaya ao poder e determina a anistia de todos os implicados no golpe de Estado. Também outorga perdão a Zelaya pelas acusações de traição à pátria e outros delitos de que ele é acusado por tentar reformar partes da Constituição que são considerados “imutáveis”. As informação são a Associated Press.