Dois norte-americanos detidos durante a onda de protestos políticos na Síria foram libertados hoje, após duas semanas encarcerados. O engenheiro Mohammed Radwan, de 32 anos, e o estudante de árabe Pathik Root, 21, foram soltos, segundo informações da agência de notícias da Síria, funcionários da embaixada dos Estados Unidos e um parente de Radwan.

O engenheiro, que também possui cidadania egípcia, deverá partir para o Cairo, enquanto o estudante aguarda permissão para deixar a Síria. Radwan foi acusado de vender fotos que tirou dos protestos para uma colombiana, segundo a agência estatal de notícias da Síria. O estudante Root também teria fotografado protestos, o que levou à sua detenção. As informações são da Associated Press.