O governo sírio rechaçou categoricamente as acusações de que o país encobriu assassinatos em massa em presídios militares. De acordo com o Departamento de Estado dos Estados Unidos, presos na Síria, incluindo prisioneiros políticos, tiveram seus corpos queimados em crematórios para a ocultação de provas.

O Ministério de Relações Exteriores da Síria classificou as acusações como “uma nova trama de Hollywood” e “mentiras” empregadas para justificar a “agressão e intervenção” dos EUA na Síria, em um comunicado divulgado nesta terça-feira.

Observadores ocidentais e grupos de monitoramento disseram que reuniram provas dos assassinatos massivos nos presídios sírios. Não há, no entanto, provas sobre o uso de um crematório. “Muitos dos corpos são cremados para encobrir a extensão das mortes em massa”, disse Stuart Jones, diplomata dos EUA no Oriente Médio. Ele acusa o governo de Bashar Assad de cair em “novos níveis de perversidade”.

O Departamento de Estado dos EUA afirmou ontem que cerca de 50 pessoas são enforcadas por dia na prisão militar. As últimas acusações têm afetado as negociações de paz na Síria em Genebra, onde representantes do governo e da oposição sírios tiveram encontros separadamente nesta terça-feira com o diplomata dos EUA. Esta é a sexta rodada de negociações. Fonte: Associated Press.