A televisão estatal do Sri Lanka informou neste domingo (11) que o partido do governo venceu a eleição disputada na Província Leste do país. Os resultados mostram que a coalizão governista Aliança pela Liberdade do Povo conquistou 20, de um total de 37 assentos que estavam em disputa no conselho provincial, enquanto o oposicionista Partido da União Nacional ficou com 15 lugares.

Dois pequenos partidos ficaram com um lugar, cada. Monitores e membros da oposição dizem que a eleição deste sábado foi influenciada por fraudes eleitorais e intimidação de eleitores.

O presidente do país, Mahinda Rajapaksa, saudou a vitória governista. "Eu noto que o povo do leste deu um claro mandato de paz, através da derrota do terrorismo, do fortalecimento da democracia e do desenvolvimento do país", apontou um comunicado presidencial.

O Exército expulsou os rebeldes da região leste do país em julho passado, e agora tentam fazer o mesmo na parte norte do Sri Lanka.

Aproximadamente 60% dos um milhão de eleitores registrados votaram, segundo a comissão eleitoral. Observadores internacionais consideraram o comparecimento baixo, para uma eleição importante.

VIOLÊNCIA

Também neste domingo, o governo anunciou a morte de 18 rebeldes do Exército de Libertação dos Tigres do Tamil Eelan (LTTE), na região norte do país. Segundo um membro do Exército local, as mortes ocorreram no sábado, durante confrontos nas regiões de Jaffna, Vavuniya, Mannar e Welioya. Não era possível comprovar de forma independente os dados, geralmente distorcidos pelos dois lados em confronto.

O LTTE luta desde 1983 para criar um território independente para os tâmeis. Essa etnia é marginalizada pela maioria cingalesa, que controla o governo. Mais de 70 mil pessoas morreram em conseqüência dessa disputa.