A Grécia ratificou um acordo apoiado pelos Estados Unidos com a Macedônia que busca ajudar a estabilizar a região dos Bálcãs, mas polariza a população grega. O pacto renomeia o país para Macedônia do Norte e levanta o veto grego à entrada do vizinho na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A iniciativa foi aprovada por uma maioria de três parlamentares no Parlamento da Grécia, com 300 membros. O aval abre oficialmente caminho para a entrada da Macedônia na Otan, que pode ser concluída no próximo ano. O Parlamento grego deve ser o primeiro país a aprovar isso, nos próximos dias.

O governo de esquerda do Syriza, do premiê Alexis Tsipras, contou com o apoio de congressistas independentes para derrotar a conservadora Nova Democracia, entre outros oposicionistas, segundo os quais o acordo ofendia sentimentos nacionais da Grécia. Cerca de 70% dos gregos se opõem ao acordo, segundo várias pesquisas. Muitas pessoas no país defendem que a denominação “Macedônia” pertence apenas à região norte grega de mesmo nome e ao reino grego antigo de Alexandre, o Grande.

Desde que a Macedônia declarou independência da ex-Iugoslávia em 1991, a Grécia vinha contestando o nome, argumentando que isso implica uma reivindicação ao território e à herança gregos. Fonte: Dow Jones Newswires.