A farmacêutica GlaxoSmithKline afirmou hoje que começou a testar sua vacina para gripe suína em humanos. A companhia informou que planeja realizar 16 testes clínicos da vacina, em mais de 9 mil pessoas na Europa e na América do Norte. A Glaxo espera ter resultados do primeiro grupo de testes, na Alemanha, em setembro. Os dados serão compartilhados com agências reguladoras do setor farmacêutico, para que essas possam tomar mais rápido a decisão sobre a liberação da vacina.

Tanto Europa quanto Estados Unidos têm sistemas de aprovação mais rápidos para vacinas contra o vírus, antes mesmo da realização de todos os testes de segurança. A Agência Europeia de Medicamentos já afirmou que vacinas para gripe suína podem ser aprovadas em cinco dias. Duas grandes farmacêuticas, Novartis e Sanofi-Aventis, começaram a testar suas vacinas para a gripe A (H1N1) mais cedo neste mês. Em julho, a australiana CSL iniciou seus testes na Austrália.

O primeiro teste da Glaxo será realizado na Alemanha com 128 pessoas, com idades entre 16 e 60 anos, segundo uma porta-voz da empresa. A companhia informou que também pretende fornecer dados mais antigos sobre uma vacina para gripe aviária, na qual a vacina para gripe A (H1N1) é baseada. A empresa também testará o produto em crianças, jovens e idosos. O julgamento deve demorar aproximadamente um ano, mas a porta-voz disse que a vacina deve estar no mercado muito antes disso.

“Nós planejamos obter as primeiras doses em setembro”, afirmou a funcionária da empresa. A Glaxo já recebeu pedidos de 291 milhões de doses. A empresa informou que doará 50 milhões de doses para a Organização Mundial de Saúde (OMS), para que a entidade distribua as vacinas em países pobres.