O governo da Argentina decretou ponto facultativo nas repartições públicas na próxima sexta-feira, emendando o feriado nacional de 9 de julho, Dia da Independência, com o fim de semana. O argumento oficial é que os quatro dias de paralisação do funcionalismo servem como uma medida preventiva para reduzir a circulação do vírus da gripe suína.

“É imprescindível adotar medidas de caráter preventivo diante da situação sanitária atual produzida pela influenza A (H1N1) e suas eventuais derivações públicas”, diz a Resolução da Casa Rosada, que também “convida os organismos públicos e privados a implementar medidas de similar teor”. A Corte Suprema de Justiça, equivalente ao Superior Tribunal de Justiça, também ampliou o recesso judiciário em mais uma semana, até o dia 24 de julho. Já a Câmara e o Senado decidiram manter as atividades normalmente.