Um grupo armado matou oito agentes de segurança e fugiu com uma quantia equivalente a quase R$ 13 milhões depois de assaltar hoje um banco na região central da Bagdá. A polícia local suspeita que os autores sejam rebeldes em busca de recursos para financiar suas operações. É o segundo assalto a banco com morte em Karradah, um distrito comercial do país, em apenas uma semana.

 

Apesar de a violência relacionada à guerra ter diminuído bastante no Iraque no decorrer dos últimos dois anos, crimes comuns parecem estar em alta no país árabe. Uma comissão especial formada por oficiais do Exército e da polícia e por agentes bancários foi criada para investigar o assalto, informou o Ministério de Interior do Iraque.

O grupo invadiu a agência do banco estatal Rafidain. Os assaltantes mataram três seguranças em serviço e cinco que descansavam em outra parte do banco, informou a polícia. Investigadores disseram acreditar que os assaltantes usaram silenciadores, pois moradores afirmaram não ter ouvido tiros.

Ainda não se sabe quantas pessoas participaram do assalto nem quanto dinheiro havia na agência no momento da ação. Uma fonte na polícia disse que o assalto aparentemente foi obra de insurgentes em busca de dinheiro para financiar suas operações, mas não entrou em detalhes sobre quais evidências levariam a tal conclusão.