Um importante líder exilado do Hamas, Moussa Abu Marzouk, afirmou nesta quarta-feira (7) que o grupo militante islâmico rejeita um cessar-fogo permanente com Israel. Apesar disso, Marzouk disse que o Hamas estuda as alternativas para o fim da violência na Faixa de Gaza. O vice-líder do comitê político do Hamas declarou ainda que, enquanto houver ocupação israelense, haverá “resistência”. Ontem, Egito e França propuseram um plano para garantir o fim da violência na Faixa de Gaza.

Marzouk disse que o Hamas exige um fim imediato da ofensiva israelense, a retirada de Israel de Gaza e a abertura das fronteiras da região. Ele afirmou também que a Turquia e a Síria também enviaram propostas para um cessar-fogo. A ofensiva israelense já deixou mais de 600 mortos em 12 dias de confronto.