A rede de televisão libanesa Al-Manar, ligada ao grupo islâmico Hezbollah, publicou recentemente em seu site a notícia da captura de uma águia com identificação israelense. A ave foi abatida por caçadores e parecia ter um dispositivo de transmissão em suas costas, o que levou a Al-Manar a ventilar o possível uso do animal para espionagem.

As águias Bonelli estão ameaçadas de extinção. O ornitologista israelense, Yossi Leshem, disse nesta quinta-feira que restam apenas nove casais da espécie em idade reprodutiva.

O aparente dispositivo de espionagem é na realidade um recurso de rastreamento para manter controle das últimas águias vivas e tentar evitar sua extinção. A prática feita pela Universidade de Tel-Aviv é comum entre pesquisadores do mundo todo.

Leshem, que colabora com estudos na Palestina e Jordânia diz que o campo de conservação animal depende imensamente da cooperação regional.

Recentemente um falcão também foi capturado na Turquia com a mesma suspeita de espionagem. Leshem demonstrou indignação ao comentar os casos. “Todos estes países usam o mesmo método de pesquisa e usam os mesmos dispositivos eletrônicos para rastrear aves e mamíferos, ainda assim, a paranoia persiste no Oriente Médio”, disse o pesquisador. Fonte: Associated Press.