A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, tentou tranquilizar os europeus nesta sexta-feira (6) ao afirmar que a tentativa de aproximação do novo governo com a Rússia não afetará o apoio de Washington à Europa. A chefe da diplomacia americana falou nesta sexta a centenas de funcionários do Parlamento antes de seguir para Genebra, onde discutirá controle de armas e outros assuntos com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov.

Hillary afirmou que a Casa Branca “não deseja ser mal compreendida na Europa com relação às suas intenções”. Ela esclareceu que seu objetivo em Genebra, para onde deve seguir ainda hoje, é encontrar áreas de interesse comum com a Rússia e trabalhar o terreno para solucionar divergências agravadas nos últimos anos.

Segundo Hillary, a Rússia pode ajudar a comunidade internacional a convencer o Irã a não desenvolver armas nucleares. Durante o governo George W. Bush, os Estados Unidos acusavam o Irã de manter em segredo um programa nuclear bélico. Teerã rejeita a acusação e assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de produção de energia elétrica.