O julgamento do ultradireitista Anders Behring Breivik, pelo atentado duplo que deixou 77 mortos na Noruega em julho do ano passado, foi interrompido nesta sexta-feira após o irmão de uma das vítimas lançar um sapato na direção do réu e gritar “vá para o inferno”, antes de ser retirado do tribunal. O sapato acabou atingindo uma advogada da defesa, que não ficou ferida.

Breivik manteve a calma e “sorriu levemente” ao observar o agressor ser detido pelos seguranças da corte, segundo relato da jornalista sueca Mikaela Akerman, que presenciou o incidente.

“Ele jogou um sapato na bancada onde Breivik e seus advogados ficam sentados”, contou Akerman. Ele gritou: “Assassino, vá para o inferno” e repetiu a frase várias vezes, afirmou a jornalista.

Este foi o primeiro caso de descontrole emocional do público normalmente comportado que acompanha o julgamento de Breivik em Oslo, a capital norueguesa, desde meados de abril. A previsão é que o julgamento se estenda por até dez semanas.

Breivik, que se descreve como militante antimuçulmano, é o autor confesso dos atentados, que mataram oito pessoas em Oslo e outras 69 na ilha de Utoya.

Após um recesso de dez minutos, Breivik disse no tribunal: “Se alguém quiser jogar algo em mim, que o faça quando eu estiver chegando ou saindo, obrigado”, de acordo com Akerman. As informações são da Associated Press.