O presidente de Cuba, Raúl Castro, e a alta hierarquia da Igreja Católica do país discutiram na quarta-feira a situação dos presos políticos em uma reunião inédita. “O tema foi abordado e acredito que de ambas as partes há disposição e desejo de que se resolva”, afirmou Dionisio García, arcebispo de Santiago de Cuba, que participou do encontro acompanhando o cardeal Jaime Ortega.

Ao ser questionado sobre um eventual acordo para uma libertação dos presos, García disse acreditar que o “processo tem de começar com pequenos passos”. O encontro ocorreu quase três semanas depois de Ortega ter conseguido com que o governo permitisse marchas das Damas de Branco, grupo formado por mulheres dos presos políticos, em Havana.