Multidões de imigrantes clandestinos fugiram de um acampamento de tendas no sul da Itália, para onde haviam sido levados da ilha de Lampedusa. Os imigrantes norte-africanos pularam a baixa cerca que circunda o campo em Manduria, na província de Tarento, e escaparam em massa hoje. Imagens da televisão italiana mostravam eles correndo pelos campos de Tarento.

Desde o começo do ano, cerca de 22 mil imigrantes, a maioria tunisianos, desembarcaram em Lampedusa, uma pequena ilha ao sul da Sicília, mais próxima da costa do Magreb que da Itália. Os norte-africanos fogem dos tumultos políticos na Tunísia e do conflito civil líbio. As autoridades italianas montaram o acampamento com capacidade para abrigar 4 mil imigrantes em Manduria, atraindo críticas da população local e do prefeito, que renunciou ao cargo.

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, conversou hoje com o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, que concordou que a questão da imigração clandestina dos norte-africanos não é apenas um problema “italiano”, mas também “europeu”, informou a Agência Ansa.

Segundo Berlusconi, o governo da Itália está negociando com a Tunísia a deportação dos clandestinos tunisianos e poderá oferecer algum auxílio econômico para que os imigrantes recebam algum trabalho na terra de origem. Berlusconi disse que o governo italiano pretende deportar 100 clandestinos por dia. As informações são da Associated Press.