Autoridades da Turquia indiciaram hoje 33 por um suposto plano secularista de golpe para desestabilizar o país e derrubar o governo. Todos são acusados de planejar assassinatos de importantes membros das minorias cristã e judia, entre outros ataques, para criar uma situação de caos e derrubar o governo de orientação islâmica. Entre os suspeitos estão três almirantes e dezenas de outros oficiais militares. O julgamento está marcado para 15 de junho.

Centenas de civis e militares já devem ser julgados, em um plano aparentemente independente contra o governo. A Turquia também prendeu recentemente e acusou quase 40 funcionários por planejarem outro golpe. Os partidários do secularismo no país acreditam que essas prisões são um esforço do governo para intimidar a população por meio do Judiciário.