Merauke, Indonésia, 10/05/2015 – O presidente da Indonésia, Joko Widodo, anunciou neste domingo o fim da proibição contra jornalistas estrangeiros na província de Papua, um dia depois de liberar cinco prisioneiros políticos locais. A decisão faz parte dos esforços para melhorar os direitos humanos no território, onde existe um movimento separatista desde que o domínio da província passou da Holanda para a Indonésia, em 1963.

“A partir de hoje, permitiremos que jornalistas estrangeiros viagem livremente para Papua, assim como para outras províncias indonésias. É hora de pensarmos positivo. Precisa haver a confiança mútua que nós perdemos”, comentou Widodo. Dois jornalistas franceses foram condenados a dois meses e meio de prisão no ano passado por trabalhar sem permissão na província.

Os cinco prisioneiros libertados na véspera cumpriam pena por um ataque contra uma base militar em 2003, que deixou dois soldados mortos. Existem atualmente pelo menos 100 prisioneiros políticos na Indonésia, principalmente em Papua e nas Ilhas Molucca. No caso de Papua, 26 desses presos, condenados por traição, rejeitaram aderir a um programa de anistia do governo. Segundo eles, deixar a prisão desta forma seria admitir crimes que eles não cometeram. Fonte: Associated Press.