Ao menos sete civis e dois soldados ucranianos foram mortos durante a madrugada desta segunda-feira no leste da Ucrânia em meio a intensos e crescentes bombardeios nos dois lados do conflito. O chanceler russo, Sergey Lavrov, alertou para os atos, “que parecem muito com uma preparação para novas hostilidades”, disse Lavrov.

A Agência de Notícias Donetsk disse que os tiroteios mataram três pessoas na cidade de Horlivka e dois na capital rebelde de Donetsk. Autoridades ucranianas relataram duas mortes de civis em seu lado, no subúrbio de Mariupol, no Mar Negro. A Segurança ucraniana e o Conselho de Defesa informaram também que dois soldados foram mortos e seis ficaram feridos durante a noite.

O chanceler russo, Sergey Lavrov, acusou nesta na segunda-feira o governo da Ucrânia em Kiev de corromper as recentes conversações entre a Ucrânia, os rebeldes e a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa que deviam concordar com uma retirada de armamento. Lavrov disse que o aumento no bombardeio poderia ser o início de uma nova ofensiva ucraniana.

“Estamos preocupados com os acontecimentos dos últimos dias, que se parecem muito com uma

preparação para novas hostilidades”, disse ele.

Os combates entre os rebeldes separatistas apoiados pela Rússia e as tropas do governo ucraniano no coração industrial do país diminuiu após da trégua assinada em fevereiro. No entanto, apesar das promessas de retirar armas de grosso calibre das fronteiras, ambos os lados permaneceram com os armamentos nos recentes atos violentos. O conflito já matou cerca de 6.400 pessoas desde abril de 2014, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Fonte: Associated Press.