O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou há pouco antes de jantar com militares na Casa Branca que “é uma desgraça” a apreensão de documentos no escritório do advogado pessoal dele, Michael Cohen, no final da tarde.

Os mandados contra Cohen foram concedidos pelo escritório do Procurador dos EUA para o Distrito Sul de Nova York, mas estão “em parte” relacionados à investigação do conselheiro especial Robert Mueller sobre suposta interferência da Rússia na eleição presidencial americana de 2016.

“Toda esta investigação de Mueller é um ataque ao nosso país, a tudo o que nós defendemos. Já disse e repito que não houve qualquer conluio com a Rússia”, complementou o presidente. “Esta caça às bruxas já ocorre há mais de 12 meses e ainda não encontraram nada sobre mim. Não podemos deixar que atrocidades ocorram.”