O parlamento iraniano criticou, neste sábado, o acordo relevado pela Organização das Nações Unidas (ONU) de que o Irã estaria negociando o enriquecimento de seu próprio urânio em outros países para transformá-lo em combustível nuclear.

Segundo o porta voz do parlamento, Ali Larijani, as forças ocidentais estão tentando “enganar” o Irã através deste acordo que prevê a exportação iraniana de urânio com baixo teor de enriquecimento para ser enriquecido e transformado em combustível nuclear. Larijani disse que o Ocidente estaria impondo condições ao Irã.

Porém, as críticas feitas pelo parlamentar são exatamente o que consta na proposta feita pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad em 30 de setembro. “Nós precisamos de urânio 19,75% enriquecido. Nós nos propomos a comprar de quem esteja pronto para vendê-lo. Nós daremos urânio 3,5% enriquecido e então eles irão transformá-lo nos 19,75% que nós precisamos”, disse o presidente na ocasião, antes da reunião ocorrida em Genebra em primeiro de outubro, quando a proposta foi apresentada e levantou reações positivas da França e da Rússia.