O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, se opõe ao acordo nuclear acertado com as potências mundiais, segundo afirmou um porta-voz seu neste sábado.

Hossein Shariatmadari, editor do jornal Kayhan e representante de Khamenei, fez os comentários em um editorial deste sábado. Essa foi a primeira vez que alguém afirmou publicamente que o aiatolá se pronunciou contra o acordo. Khamenei tem a palavra final sobre todas as questões do estado iraniano.

Até hoje, Khamenei não afirmou publicamente se apoia ou não o acordo. No entanto, ele ofereceu repetidamente palavras de apoio para a equipe de negociadores de seu país. Os moderados também acreditam que o acordo não teria sido alcançado sem a aprovação particular de Khamenei.

O parlamento do Irã e o Conselho Nacional Supremo de Segurança irá avaliar o acordo nuclear nos próximos dias.

O acordo – acertado com os EUA, China, Rússia, Reino Unido, Alemanha e França – estabelece limites para a atividade nuclear do Irã em troca do alívio das sanções econômicas internacionais.

Shariatmadari escreveu no editorial que muitas partes do acordo ameaçam a independência, a segurança e o “sagrado sistema da República Islâmica do Irã”. Ele afirmou ainda que será um “desastre” se Teerã aceitar as exigências internacionais. Ele não especificou quais partes dos termos são problemáticas.

O jornalista também se referiu a um pronunciamento feito por Khamenei no último mês no qual o aiatolá disse que “ninguém terá permissão para prejudicar os princípios fundamentais do sistema islâmico”.

Outro proeminente linha-dura e representante de Khamenei, o aiatolá Ahmad Alamolhoda, criticou recentemente o acordo nuclear, dizendo que o texto “cruza as linhas vermelhas” desenhadas pelo líder supremo. Fonte: Associated Press.