O ministro da Inteligência do Irã, Heydar Moslehi, voltou a reafirmar a posição do país e disse hoje que os três montanhistas norte-americanos detidos em território iraniano há 10 meses são espiões. A declaração de Moslehi foi feita apenas algumas horas antes das mães dos montanhistas visitarem os filhos numa prisão em Teerã, informou a agência de notícias Isna. “O Irã agiu de acordo com os ensinamentos islâmicos e de uma maneira humanitária”, disse Moslehi, se referindo à decisão do Irã de conceder vistos para a entrada das mães no país e para a visita.

“Apesar de eles serem espiões e terem entrado ilegalmente no Irã, eles foram tratados de acordo com os ensinamentos religiosos e de uma maneira humanitária”, disse Moslehi. Em dezembro, o ministro do Exterior, Manouchehr Mottaki, disse que os três enfrentavam acusações de terem entrado ilegalmente no Irã.

As três mães, Nora Shourd, Cindy Hickey e Laura Fattal, chegaram a Teerã vindas de Dubai e, após passarem pela imigração, foram recebidas pelo Embaixador da Suíça no Irã, que representa os interesses locais dos norte-americanos. “Nós estamos aqui para ver nossos filhos, que não vemos há mais de dez meses. Sentimos muitas saudades”, disse Shourd. “Esperamos levá-los de volta”.

O Irã acusou os três, Sarah Shourd, de 31 anos, o namorado Shane Bauer, de 27 anos; e o amigo do casal, Josh Fattal, de 27 anos, de entrada ilegal no país. Em abril Moslehi também acusou o trio de espionagem. Os parentes dos três rejeitam as acusações de espionagem e afirmam que eles realizavam uma caminhada nas montanhas no Curdistão iraquiano quando entraram inadvertidamente em território iraniano. Os três foram detidos na província iraniana do Kordestan e levados a Teerã.

O advogado dos três americanos, Masoud Shafii, disse que as mães tentam marcar reuniões com funcionários envolvidos com o caso, e principalmente com os líderes iranianos, incluído o presidente Mahmoud Ahmadinejad e o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, que possui a palavra final sobre todos os assuntos no Irã. Com informações da Dow Jones.