Autoridades prenderam vários suspeitos da morte de uma mulher, após vários dias de tumultos na cidade curda de Mahabad, diz a agência de notícias Fars, do Irã.

Na reportagem, Ebrahim Raisi, procurador-geral do Irã, diz que as prisões ocorreram na sequência de uma “crise” instigada pela imprensa com base no exterior, relacionada à “morte de um indivíduo em um hotel”.

Na semana passada, sites da oposição com sede no exterior reportaram que o suspeito da morte de um empregado de hotel em Mahabad é ligado ao governo. Raisi não entrou em detalhes sobre o caso.

A agência de notícias oficial Irna informou que os manifestantes, na semana passada, danificaram o hotel em razão da morte, que consideraram suspeita.