O iraniano Ali Vakili Rad voltou ontem para seu país natal, após deixar uma prisão na França. Ele foi recebido no aeroporto de Teerã por dois funcionários do governo, informou a agência de notificas Fars. “Deixei para trás o inferno e estou feliz por ter encontrado o paraíso de novo”, disse ele, segundo a agência oficial iraniana, Irna.

Vakili Rad foi libertado poucos dias depois de o Irã ter solto Clotilde Reiss, acadêmica francesa acusada de espionagem. Os acontecimentos fizeram com que a oposição francesa afirmasse que o governo fez uma troca com Teerã. O ministro de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, afirmou que não houve acordo entre Paris e Teerã antes do retorno de Reiss, após dez meses no Irã. O advogado de Vakili Rad também desmentiu os boatos.

Fazendo o sinal da vitória, Vakili Rad prometeu falar sobre seus anos na prisão. Vakili Rad ficou detido por 16 anos por ter matado a facadas e estrangulamento o último primeiro-ministro do xá iraniano, Shapour Bakhtiar, na casa da vítima, nos arredores de Paris, em 1991. Após o ministro do Interior francês ter assinado a ordem para a deportação de Vakili Rad, um tribunal concedeu a ele liberdade condicional na terça-feira e, poucas horas depois, ele embarcou num voo da Iran Air do aeroporto parisiense de Orly para Teerã. As informações são da Dow Jones.