As autoridades iraquianas proibiram o acesso de mulheres à mesquita do imã Musa al Kazim, um dos maiores santuários xiitas do país, localizado no bairro de Kazimiya, em Bagdá, por motivos de segurança.

Segundo a edição on-line da BBC, no último domingo, um atentado na entrada da mesquita matou ao menos 35 pessoas e feriu outras dezenas, a maioria peregrinos xiitas.

Nos últimos dias, a segurança no local foi reforçada devido à festa religiosa Ashura, que celebra o martírio de imã Hussein, neto do profeta Maomé, morto por soldados na cidade de Kerbala, a 80 quilômetros de Bagdá, no ano de 680.