O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, convocou o embaixador dos Estados Unidos. A convocação foi feita em protesto contra a ajuda do governo do presidente norte-americano Barack Obama na aprovação de uma resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) contra os assentamentos israelenses em terras que os palestinos querem como parte de seu futuro Estado independente.

O ministério de Relações Exteriores de Israel também convocou altos diplomatas de 10 dos 14 países que votaram a favor da resolução. Alguns dos países que votaram pela resolução do Conselho de Segurança da ONU na sexta-feira não têm relações diplomáticas com Israel, caso da Malásia. Outros não têm representantes permanentes no país.

Essa é a primeira vez em 36 anos que o Conselho de Segurança conseguiu adotar uma resolução condenando assentamentos israelenses na Cisjordânia e Jerusalém Oriental. A resolução foi aprovada com 14 membros a favor e com a abstenção dos Estados Unidos, enquanto no passado os EUA usaram seu poder de veto para bloquear tais resoluções.

Israel expressou sua consternação ao embaixador dos Estados Unidos, Daniel Shapiro, em uma reunião no gabinete do primeiro-ministro, insistindo que a resolução não ajudaria a reunir israelenses e palestinos para conversas. O departamento de Estado norte-americano não fez comentários imediatamente.

“Atos como esse dificultam a paz em vez de promovê-la. Essa é a mensagem”, disse uma porta-voz do ministério das Relações Exteriores de Israel, acrescentando que representantes de países como Reino Unido, China, Rússia, França e outros tiveram reuniões individuais com autoridades israelenses. Fonte: Dow Jones Newswires.