O gabinete de Segurança de Israel decidiu hoje flexibilizar o bloqueio à Faixa de Gaza, após a forte pressão internacional diante do ataque da marinha israelense a uma flotilha humanitária no dia 31 de maio, que matou nove ativistas turcos.

“Concordamos em tornar o bloqueio mais suave para a entrada de mercadorias e expandimos também para materiais visando projetos civis, os quais estão sob supervisão internacional”, disse um oficial de Estado, sem especificar que itens integram a lista.

O anúncio indica que Israel talvez permita que organizações internacionais, como a ONU, tragam para a Faixa de Gaza materiais de construção, de vital importância para a reconstrução da região, arrasada pela guerra ocorrida de dezembro de 2008 a janeiro de 2009.

O governo israelense frisou que, apesar da concessão, continuam em vigor os procedimentos israelenses para prevenir a entrada em Gaza de armas e materiais de guerra.