A Marinha de Israel interceptou nesta terça-feira um barco transportando nove ativistas judeus que tentavam chegar à Faixa de Gaza. Segundo os militares israelenses, essa tomada do navio ocorreu sem resistências nem uso de violência. O incidente ocorreu quatro meses após Israel abordar uma flotilha internacional, em um episódio violento que terminou com nove mortes.

Nesta terça-feira, o barco Irene tentou romper o bloqueio naval de Israel na Faixa de Gaza. As forças da Marinha israelense abordaram o barco sem resistência e começaram a rebocá-lo para um porto do país. Israel impôs um bloqueio desde que, há três anos, o grupo islâmico Hamas tomou o poder na Faixa de Gaza. As autoridades israelenses já advertiram que interceptarão qualquer navio antes da chegada a Gaza. Israel teme que sejam também enviadas armas para os militantes.

Os passageiros do Irene, incluindo um ex-piloto de combate israelense, haviam dito que queriam mostrar que nem todos os judeus apoiavam o bloqueio de Israel. Eles reconheceram anteriormente que era difícil romper o bloqueio. “Nenhum tipo de violência foi utilizada por nenhum dos passageiros a bordo nem pelas forças navais de Israel”, afirmou o comunicado das forças israelenses.