Uma porta-voz do Parlamento israelense afirmou que as eleições nacionais serão realizadas no meio de fevereiro. Segundo a porta-voz, a data inicialmente escolhida foi 10 de fevereiro. Porém os parlamentares podem ainda votar o adiamento por uma semana da eleição, ou seja, para 17 de fevereiro. Com isso, haverá três meses e meio de uma campanha que promete ser dura, cuja decisão terá impacto significativo nas negociações de paz do Oriente Médio.

A notícia sobre a antecipação das eleições surgiu nesta semana, após a primeira-ministra designada Tzipi Livni desistir de tentar formar uma coalizão. Ela falou que alguns partidos, entre eles o ultradireitista Shas, realizavam “chantagem política”, com demandas excessivas.

O primeiro-ministro Ehud Olmert foi pressionado a renunciar, após ser envolvido em vários escândalos de corrupção. As pesquisas mostram Tzipi com uma leve vantagem sobre seu rival, o linha-dura líder do Likud Benjamin Netanyahu.