O primeiro-ministro palestino Salam Fayyad disse que o fato de Israel ter confiscado milhões de dólares em impostos fez com que o governo na Cisjordânia não tenha capacidade para pagar os salários de 160 mil funcionários públicos. Segundo Fayyad, seu governo está “numa situação financeira muito difícil”.

Israel recolhe cerca de US$ 100 milhões em impostos aduaneiros e de outros tipos que são repassados para os palestinos a cada mês. O restante dos recursos da administração palestina vem de impostos locais e ajuda do Ocidente. Neste mês, Israel disse que reteria os fundos em protesto pelo acordo de reconciliação entre o Fatah, que governa a Cisjordânia, e o Hamas, que controla a Faixa de Gaza. Israel considera o Hamas um grupo terrorista.

Em coletiva de imprensa realizada na Cisjordânia, Fayyad declarou que os salários dos funcionários deveriam ter sido pagos na semana passada. As informações são da Associated Press.