O governo italiano de Silvio Berlusconi aprovou nesta sexta-feira (30) o projeto de lei para a ratificação de Tratado de Lisboa, que modifica os dois textos fundamentais da União Européia (UE), informou o ministro da Simplificação, Roberto Calderoli.

Ao mesmo tempo, o partido de Calderoli – a Liga Norte, integrante da coalizão no poder – anunciou que irá pedir um referendo para sua aprovação.

"A Liga continua com reservas (em relação ao tratado)", explicou. "Considero que a consulta não pode e não deve ser evitada, uma vez que estamos diante de uma séria cessão de soberania".

Nesse sentido, a Liga vai propor "uma lei ad hoc para consentir um referendo sobre o Tratado", acrescentou Calderoli.

Piero Fassino, membro do Partido Democrata, de oposição, criticou a atitude da Liga e afirmou que "a antiga atitude antieuropéia de setores da Liga reaparece, oferecendo uma imagem do país que não pode deixar de despertar inquietação nos sócios europeus".

O Tratado de Lisboa foi assinado pelos representantes de todos os Estados membros da UE em Lisboa em 13 de dezembro de 2007 e modifica o Tratado da União Européia e o tratado constitutivo do bloco.