Brasília – O Ministério das Relações Exteriores divulgou nesta terça-feira (1º) uma nota na qual lamenta que ?as circunstâncias tenham impedido, neste fim de ano, a libertação da Senhora Clara Rojas, de seu filho Emmanuel e da Senhora Consuelo González, que se encontram em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)?.

o documento, o Itamaraty reitera a solidariedade com as famílias das pessoas seqüestradas pelas Farc e o apoio ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e à comissão de delegados internacionais liderada pelo presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, que fizeram as negociações para tentar libertar os reféns.

A comissão de delegados internacionais suspendeu temporariamente a presença na Colômbia e prometeu reassumir as negociações assim que forem dadas as condições necessárias para a libertação dos seqüestrados.

Segundo informou o presidente Hugo Chávez à TV estatal venezuelana, as Farc anunciaram por carta que ?tentativas de operações militares na área? impediram a entrega dos reféns.