Relatório do governo japonês que será entregue à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) diz, pela primeira vez, que o combustível da usina nuclear de Fukushima pode ter derretido no núcleo de três reatores. Quase três meses após o terremoto e o tsunami de 11 de março terem resultado no pior acidente nuclear desde Chernobyl, Tóquio também prometeu reforçar os padrões e mecanismos de segurança para sua indústria nuclear.

O primeiro-ministro Naoto Kan, ao aprovar o relatório de 750 páginas, disse que “acima de tudo, é mais importante informar a comunidade internacional com transparência para reconquistarmos sua confiança no Japão. O Japão deve apresentar o relatório à AIEA, que enviou seu próprio grupo de investigadores para o país e deve discutir o desastre em sua sede, localizada em Viena, neste mês.

O documento foi divulgado um dia depois de o Japão mais do que dobrar sua estimativa sobre o total de radiação liberada no ar pela usina nos primeiros dias após o tsunami ter atingido os sistemas de refrigeração dos reatores. As informações são da Dow Jones.