Osamu Fujimura, principal porta-voz do governo do Japão, disse nesta terça-feira que o país vai aliviar algumas restrições atuais que proíbem fabricantes de exportarem armamentos desenvolvidos para as forças de defesa japonesas.

Em comunicado, o governo informou que revisou regras que proíbem as vendas para países comunistas, que estão sob embargo econômico da ONU, ou que estão envolvidos em conflitos internacionais.

Embora já tenham ocorrido exceções no passado, as mudanças são as primeiras revisões gerais nas regras de proibição de exportação de armas, criadas em 1967. A mudança pode ajudar a reduzir os custos do Japão com sua defesa, mas levantam preocupações em relação à Constituição pacifista do país. As informações são da Dow Jones.