A polícia britânica afirmou hoje que alguém está tentando sabotar a investigação em torno do tabloide News of The World, do grupo News Corp, do magnata Rupert Murdoch. Segundo os policiais, essa sabotagem é feita através do vazamento de detalhes da investigação para a imprensa. Também hoje foi divulgado que o ex-primeiro-ministro Gordon Brown teria sido uma das vítimas do escândalo.

Em um comunicado pouco usual, a Scotland Yard afirmou que a notícia segundo a qual policiais encarregados de proteger a família real haviam vendido detalhes pessoais sobre a rainha e seus aliados mais próximos eram “parte de uma campanha deliberada para minar a investigação sobre supostos pagamentos por jornalistas corruptos a policiais corruptos e retirar a atenção de algum outro lugar”.

A imprensa britânica tem repercutido furiosamente as alegações de que jornalistas do News of the World grampearam telefones de várias pessoas. O escândalo levou o tabloide a fechar.

Na tarde de hoje, o jornal londrino Evening Standard e outros afirmaram que a News Corp descobriu uma série de e-mails indicando que funcionários haviam dado dinheiro a membros da Scotland Yard, em troca de detalhes sobre a monarquia e seu entorno. O Evening Standard atribuiu a informações a “fontes” não identificadas. O Palácio de Buckingham não comentou o caso.

A imprensa britânica informou que Brown teve informações pessoais monitoradas pelo império midiático de Murdoch. Segundo o jornal The Independent, o Channel 4, o Guardian e a BBC, Brown foi alvo de títulos como o tabloide The Sun e o Sunday Times. As alegações aprofundam o escândalo em torno do comportamento de parte da mídia britânica. As informações são da Associated Press.