O júri do Tribunal Superior de Londres, que investiga a morte da princesa Diana e do namorado dela, Dodi al-Fayed, concluiu nesta segunda-feira (7) que eles foram mortos por causa das ações irresponsáveis do motorista Henri Paul, que conduzia o casal, e dos paparazzi que os perseguiam na noite de 31 de agosto de 1997. Diana, Fayed e o motorista morreram em uma batida em um túnel de Paris.

O júri recebeu orientação segundo a qual o "assassinato ilegal" significaria que seus integrantes chegaram à conclusão de que o comportamento do motorista e dos fotógrafos caracteriza homicídio culposo. Este era o veredicto mais rigoroso ao qual os jurados poderiam chegar nesta segunda-feira (7).

O inquérito começou em 2 de outubro, uma década após o acidente e depois de as polícias britânica e francesa realizarem investigações. Ambos os órgãos concluíram que as mortes foram acidentais.