O líder do braço da rede terrorista Al-Qaeda no norte da África disse numa mensagem exibida neste domingo que a organização matou um engenheiro francês tomado como refém em abril no Níger. Na mensagem de áudio exibida na emissora Al-Jazira, o líder Abdelmalek Droukdel disse que a organização matou o engenheiro francês Michel Germaneau, de 78 anos, em retaliação a um ataque do governo da Mauritânia contra o grupo.

No ataque, no qual as tropas da Mauritânia foram auxiliadas pela França, foram mortos seis militantes da Al-Qaeda. Germaneau foi sequestrado em 22 de abril e os funcionários acreditam que ele foi levado logo depois do Níger ao Mali. A Al-Qaeda pediu várias vezes ao governo francês que libertasse integrantes da organização presos em países da região, mas que “Sarkozy não apenas fracassou em libertar seu compatriota nessa operação fracassada, mas abriu as portas do inferno para si próprio e para seu povo”, diz a mensagem da organização. “Nós confirmamos que matamos o refém Germaneau em vingança aos nossos seis irmãos que foram mortos na operação traiçoeira”.