Parentes de um líder da oposição xiita preso no Bahrein, Hassan Mesheima, disseram que ele está gravemente enfermo, mas não recebe o tratamento médico adequado na prisão. O filho de Mesheima, Mohammed, afirmou que seu pai tratava um câncer antes de ser preso em março, durante os protestos por mais direitos para a maioria xiita no país do Golfo Pérsico. Em junho, Mesheima foi sentenciado à prisão perpétua.

Mohammed disse que pai lhe contou que o câncer voltou mais forte e que ele precisa de tratamento urgente. Segundo ele, as autoridades negaram o acesso ao detido. A Autoridade da Informação do Bahrein disse que está verificando a saúde de Mesheima junto às autoridades médicas.

As informações são da Associated Press.