Um tribunal do Egito marcou para 25 de agosto o julgamento do líder supremo da Irmandade Muçulmana, de seus dois vices e de três membros do grupo acusados de envolvimento em mortes de manifestantes, informa a agência estatal de notícias Mena.

O líder supremo da Irmandade Muçulmana, Mohammed Badie, está foragido no momento. Seus dois vices, Khairat al-Shater e Rashad Bayoumi, estão presos na penitenciária de Tora, no Cairo.

O trio é acusado de incitar a violência contra os participantes de um protesto em frente à sede do grupo em 30 de junho, dias antes do golpe militar que depôs o presidente Mohammed Morsi.

Os outros três integrantes da Irmandade Muçulmana a serem julgados no dia 25 são acusados de matar manifestantes. Fonte: Dow Jones Newswires.