O novo presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, fez seu juramento de posse neste sábado, tornando-se o primeiro presidente de esquerda do México em mais de 70 anos, o que marca uma virada histórica num país que conhecido por sua experiência de abertura de mercados e privatizações. Em seu primeiro discurso ao Congresso, Lopez Obrador prometeu “uma transição pacífica e ordenada, mas que é profunda e radical… porque vamos acabar com a corrupção e a impunidade que impediu o renascimento do México”

O México teve por muito tempo uma economia fechada, dominada pelo Estado, mas desde que entrou no Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio, em 1986, assinou acordos de livre comércio mais do que quase qualquer outro país e privatizou quase todos os setores da economia, exceto petróleo e eletricidade.

Agora, porém, Lopez Obrador faz um discurso não ouvido no México desde os anos 1960: ele quer construir mais refinarias de petróleo estatais e incentivar os mexicanos a “não comprar no exterior, mas produzir no México o que consumimos”.

Mesmo assim, o novo presidente mexicano tentou enviar gestos conciliatórios aos mercados financeiros, que ficaram agitados nas últimas semanas. “Eu prometo, e sou um homem de palavra, que os investimentos de investidores estrangeiros e internacionais estarão a salvo, e vamos criar condições que lhes permitam obter bons retornos”, disse. “Porque no México haverá honestidade, estado de direito, regras claras, crescimento econômico e confiança”.

Mas o novo presidente também deu indicações em relação às políticas sociais a serem adotadas. “Nós vamos governar para todos, mas vamos dar preferência aos mais pobres e vulneráveis”, disse Lopez Obrador. “Para o bem de todos, os pobres vêm em primeiro lugar.”

Fonte: Associated Press