O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou ontem, em um discurso televisionado, que deve convocar uma reunião mundial para rechaçar as ameaças do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e apoiar a Assembleia Nacional Constituinte recentemente eleita no país.

Ao anunciar seu plano, Maduro criticou a imprensa, que, segundo o presidente, age contra a soberania e o direito de autodeterminação da Venezuela.

Recentemente, o presidente americano disse em uma coletiva de imprensa que não descartava ação militar na Venezuela, na esteira da eleição da assembleia constituinte no país vizinho e das medidas enérgicas de Maduro contra a oposição. (Matheus Maderal com agências internacionais – matheus.maderal@estadao.com)