A mobilização de entidades agropecuárias argentinas contra um aumento dos impostos para as exportações continua nesta sexta-feira (30) e prosseguirá até segunda-feira (2) com o bloqueio de estradas, pelas quais entram ao país produtos importados, em meio ao conflito que persiste há 80 dias.

Autoridades governamentais acusaram os dirigentes do setor de não ter nenhum interesse de diálogo e de esconder fins políticos, já que a paralisação foi ratificada depois do anúncio de quinta-feira de algumas medidas oficiais destinadas a atenuar os conflitos.

Por sua vez, as câmaras patronais afirmam que o governo adotou essas resoluções sem consulta prévia e que de todos os modos não representam a solução ao que reclamam.

O governo aumentou em março os impostos às exportações de soja e girassol, por entender que seus produtores estão sendo beneficiados com o aumento dos preços internacionais sem fazer mais investimentos.

Na hipótese oficial, a alta lucratividade na produção desses grãos levará ao direcionamento único da produção agropecuária, prejudicando assim outras plantações indispensáveis.