Manifestantes contrários ao governo tomaram nesta terça-feira (25) o aeroporto internacional de Bangcoc, interrompendo os vôos. Houve confrontos entre oponentes e partidários do governo tailandês, em uma escalada na longa crise política que vive o país. Uma emissora registrou o disparo de tiros pelos oposicionistas. Os vôos para locais mais distantes do Aeroporto Internacional Suvarnabhumi foram temporariamente suspensos às 21 horas (horário local), segundo autoridades.

A paralisação ocorreu pouco antes de centenas de manifestantes – alguns mascarados e armados com barras de metal – romperem uma barreira policial e se espalharam pelo terminal de passageiros. “Pela segurança dos passageiros, nós temos que parar os vôos no aeroporto temporariamente, até que a situação volte ao normal”, afirmou o gerente do aeroporto, Serirat Prasultanon, em comunicado. Segundo ele houve uma tentativa de negociação, sem sucesso.

Também nesta segunda, houve um confronto entre partidários e opositores do governo local, em Bangcoc. Não havia ainda informações sobre feridos. A emissora Thai PBS mostrou imagens de oposicionistas atirando. Também foi registrado o momento em que uma motocicleta era incendiada.

Tensão

O governo tailandês garantiu que estava “totalmente funcional”, mas se recusou a divulgar onde seus funcionários estão trabalhando. A intenção é evitar mais protestos de ativistas, que levaram o governo a um impasse. O porta-voz do governo, Nattawut Saikay, indicou que os funcionários de fato se esconderam para evitar os milhares de oposicionistas que cercaram os escritórios temporários do primeiro-ministro no aeroporto doméstico de Bangcoc. Agora, o governo e os manifestantes participam de um “jogo de gato e rato”.

O primeiro-ministro, Somchai Wongsawat, estava no Peru, para um encontro de líderes da região do Pacífico e deve voltar na quarta (26). Porém, quando voltar, precisará encontrar um novo escritório para trabalhar. Os manifestantes ocupam seus escritórios em Bangcoc desde 26 de agosto. Com isso, Somchai foi forçado a se transferir para uma área isolada onde antes ficava o aeroporto internacional do país. Agora, milhares de manifestantes também cercam as novas instalações oficiais.

Os oposicionistas acusam Somchai por corrupção. A crise no país começou em 2006, quando uma campanha similar levou à queda do então primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, em um golpe militar. Porém a oposição não conseguiu retirar o grupo de Thaksin do poder, e seus aliados políticos venceram uma eleição em dezembro de 2007. Agora, os manifestantes acusam Somchai, cunhado de Thaksin, de ser um fantoche do ex-líder.