A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, defendeu o caminho que seu governo adotou para a saída do país da União Europeia (Brexit)em um rápido discurso no Parlamento britânico e disse que irá entregar a vontade democrática da população do Reino Unido de sair do bloco europeu.

Durante o discurso realizado nesta segunda-feira, May comentou que o Reino Unido fez contribuições substanciais para todos os tópicos no campo inicial de negociações sobre o Brexit e que, agora, o país conseguiu um acordo recíproco sobre os direitos dos cidadãos. No campo financeiro, a premiê comentou que expôs os princípios na declaração apresentada na Câmara dos Comuns na semana passada, onde foi apontado que a contribuição do Reino Unido será entre 35 bilhões de libras e 39 bilhões de libras – o que equivale a cerca de quatro anos de adesão à UE.

De acordo com May, o Reino Unido não estará no mercado único ou na união aduaneira da UE neste momento. Ela afirmou, também, que o país trabalhará, agora, com a parceria da UE com ambição e criatividade para obter um acordo em ambos os lados de interesse.

Para a primeira-ministra britânica, o andamento do Brexit “é uma boa notícia para aqueles que saíram de casa e votaram a favor, para os que estavam preocupados com o processo ser descarrilado, e para os que foram vencidos e que estavam preocupados com o Reino Unido sair sem um acordo”. De acordo com May, existem pontos de vista fortes em ambos os lados, mas “nunca pode haver um lugar para as ameaças de violência e intimidação”, fazendo referência a algumas falas de deputados oposicionistas nos últimos dias.