O senador norte-americano John McCain classificou nesta quarta-feira a proposta da Rússia de colocar o arsenal de armas químicas da Síria sob controle internacional como “tática de protelação”.

Ele expressou ceticismo quanto à possibilidade de um acordo, levantada esta semana, e pressionou a Casa Branca a não conceder muito tempo para a diplomacia. “Me preocupo com a possibilidade de termos um jogo de cabo de guerra e a matança continuar”, afirmou.

McCain frisou que, se os esforços diplomáticos falharem, isso poderia fortalecer as negociações do presidente Barack Obama com o Congresso, por já ter buscado outras opções.

O senador elogiou o discurso de ontem de Obama, especialmente o pedido para que não haja uso de armas químicas, mas ele disse que Obama deveria ter aproveitado a oportunidade para expressar um apoio mais forte pelos rebeldes e pela retirada do presidente sírio, Bashar Assad, do poder.

Segundo ele, “nenhuma arma norte-americana” chegou nas mãos dos rebeldes, enquanto “uma carga enorme de armas” enviada pela Rússia e pelo Irã chega na Síria todos os dias. Fonte: Dow Jones Newswires.