A Assembleia Geral da ONU se reuniu informalmente na quinta-feira para discutir se tomará medidas para substituir o Conselho de Segurança sobre a guerra na Síria, à medida que o órgão permanece sem saber como dar um fim aos bombardeios na cidade de Aleppo.

Quatro dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança estão batendo cabeça sobre resoluções de cessar-fogo na cidade síria de Aleppo, na qual os rebeldes estão lutando contra o governo da Síria, apoiado pela Rússia. A divisão do Conselho coloca a Rússia contra os Estados Unidos, Reino Unido e França. A China, o quinto membro do grupo, permanece neutra.

Diversos Estados-membros da ONU e o enviado da organização para a Síria, Staffan de Mistura, pediram que a Assembleia Geral invoque uma cláusula que a permitiria fazer uma sessão de emergência sobre o tema, enquanto o Conselho de Segurança vive um impasse. A sessão permitiria à Assembleia recomendar medidas para ações coletivas na Síria.

Entretanto, a reunião de quinta-feira não produziu decisões concretas. Permanece incerto se a Assembleia Geral conseguirá atingir a maioria necessária para uma sessão de emergência.

“O mundo está olhando para a ONU, todos nós, todos vocês, para não deixar que isso aconteça”, disse o ministro de Relações Exteriores do Canadá, Stephane Dion. Ele afirmou que “a falta de habilidade do Conselho de Segurança para lidar com suas responsabilidades” é preocupante. Fonte: Dow Jones Newswires.