Familiares das vítimas do terrorismo uniram-se a membros da família real e legisladores hoje para a inauguração de um memorial de 52 pilares de aço no Hyde Park, em Londres. Cada pilar representa uma das vítimas dos ataques ao sistema de transporte público da cidade, ocorrido em 7 de julho de 2005. O primeiro-ministro Gordon Brown, o prefeito de Londres, Boris Johnson, e o príncipe de Gales e sua mulher, a duquesa da Cornualha, participaram da cerimônia com os familiares. As colunas de aço inoxidável têm 3,5 metros de altura.

“Eu acredito que a data dos ataques a bomba em Londres está fortemente gravada em nossas mentes, como uma intromissão brutal nas vidas de milhares de pessoas”, disse o príncipe Charles aos presentes. Alguns parentes das vítimas deixaram uma rosa branca ou vermelha perto da placa do memorial, enquanto os nomes dos que eram mortos eram lidos em voz alta. O ex-prefeito de Londres Ken Livingstone, que estava no cargo quando os ataques suicidas contra três trens do metrô e um ônibus foram realizados, elogiou o memorial.

Enquanto os londrinos se uniam para a cerimônia, legisladores britânicos advertiram que a rede de metrô e ônibus da cidade permanece extremamente vulnerável ao ataque de terroristas. O Comitê de Assuntos Internos disse num relatório publicado hoje que o metrô da cidade e a rede de ônibus continuam a ser alvos. A empresa Transport for London, que controla a rede de transporte público da capital britânica, disse que desenvolveu melhorias na segurança e atualizou os sistemas de segurança para equipes de emergência.