“É necessária uma abordagem global para resolver a crise de imigração”, disse a chanceler das Alemanha, Angela Merkel, nesta quinta-feira, destacando que as oportunidades decorrentes da crise foram maiores do que os riscos.

“Nunca antes, desde a Segunda Guerra Mundial, tantas pessoas fugiram de seus países como atualmente”, disse Merkel à câmara baixa do Parlamento, apontando as estimativas de que cerca de 60 milhões de pessoas estão atualmente em fuga.

“Nós precisamos deste número para entender que este desafio não é apenas da Alemanha ou da Europa, mas sim um desafio global que requer cada região, cada país, cada nível político, cada instituição para fazer a sua contribuição para enfrentar a crise”, disse a chanceler.

Os comentários de Merkel vieram no auge da crise imigratória na Alemanha, com o país sendo o destino principal dos refugiados que fogem das crises na Síria e no Oriente Médio, em busca de uma vida melhor.

Merkel destacou também que a decisão da União Europeia para realocar 120 mil imigrantes entre seus Estados membros, embora importante, não é suficiente.

“Estou profundamente convencida de que a Europa não precisa apenas de uma reinstalação pontual, mas um processo permanente para uma distribuição justa dos refugiados entre seus Estados membros”, disse ela. “Temos assistido a um primeiro passo, mas estamos longe de onde precisamos estar”, acrescentou.

Ela também disse que a forma como a UE aborda a atual crise imigratória iria moldar a Europa a longo prazo.

Em uma reunião de emergência na quarta-feira de como lidar com as milhares de pessoas desesperadas que entram na Europa, os líderes concordaram em medidas modestas para enfrentar um desafio que reconheceram que iria crescer significativamente e durar anos. Fonte: Dow Jones Newswires.